GREGOR E A SEGUNDA PROFECIA – (Suzanne Collins)

Mais uma fantástica obra da autora Suzanne Collins, iremos comentar agora sobre a continuação de Gregor, o Guerreiro da Superfície. No primeiro volume nos conhecemos o subterrâneo através do garoto, que caiu por uma porta em sua lavandeira, junto com sua irmãzinha Boots.
No subterrâneo ele descobriu ser um guerreiro esperado há muito tempo, para que pudesse cumprir uma profecia e salvar o povo de Regália. Gregor tentou de todas as formas mostra aquele povo, de que ele era apenas uma criança, ele não era um guerreiro e Boots não era uma princesa. Mas algo inusitado fez o garoto criar coragem para enfrentar um exército de ratos gigantes. Eles estavam com seu pai.
Seu pai desaparecido a mais de dois anos, sem que a família soubesse onde ele se encontrava. Porém agora Gregor sabia, seu pai caiu pela lavanderia e também foi para no subterrâneo, Gregor então enfrenta a primeira profecia com o objetivo de salvar seu pai.

Quando Gregor reencontrou sua mãe novamente, ele jurou nunca mais se afastar de casa, e deixá-la preocupada daquela forma. Mas ele não poderia imaginar, que menos de um ano iria se passar até que ele volte ao subterrâneo.
Dessa vez ele voltou ao subterrâneo, ciente que sua irmãzinha Boots, estava correndo um grande risco. Os roedores querem vingança, e matar sua pequena irmãzinha, seria a morte do próprio guerreiro.
Quando Gregor chega à Regália, esperando encontrar Boots que foi misteriosamente “sequestrada” ele descobre que para mantê-la vida, é necessário enfrentar os roedores gigantes de perto.
Uma guerra foi travada, uma guerra em que Boots corre perigo, e o subterrâneo também. A única solução é matar Bane.
Bane, o único rato branco que existe no subterrâneo esta sendo treinado para comandar o exército de Roedores, para acabar com Regália e matar todos os humanos ali presentes, e acima de tudo, acabar com Gregor.
Uma equipe se junta então, para ajudar Gregor em tal tarefa.
Mais uma profecia que ele irá enfrentar, o garoto sobreviverá dessa vez?
Os perigos são mais eminentes, mas durante alguns treinos de luta, Gregor descobre que é um colérico, e isso fará grande diferença nas batalhas que irá enfrentar.
Por enquanto Regália e Boots, estão bem, mas… Até quando irá perdurar essa calmaria?
Os ratos não irão se acalmar, eles irão atacar. Mas quando eles tentarem… Gregor já terá matado Bane.
O caminho até as profundezas do subterrâneo, onde os Roedores se encontram, é longo e muito perigoso.
Durante o caminho, o Guerreiro fica ferido, voadores morrem, e corações são despedaçados.
Até que ponto Gregor estaria disposto a lutar para salvar sua irmã?

Quando se encontram então em seu destino, Boots novamente desaparece. Dessa vez com Luxa, a rainha de Regália. O reino esta mais do que vulnerável agora.
Gregor e Ares, seu voador, terá que correr contra o tempo. Matar Bane, voltar para Regália antes de serem capturados e solicitar uma busca para salvar Luxa e sua irmã.
Quando fica frente a frente com Bane, ele descobre que é apenas um filhote. Um lindo filhote branco.
Gregor terá coragem de matar Bane?
O Roedor está completamente fragilizado, perdeu sua mãe, viu combates, e estava sendo cassado para ser feito líder, para aprender apenas coisas ruins.
Ele se enrosca em Gregor. O garoto pensa em Boots, agora talvez morta, ela e o roedor são do mesmo tamanho, Bane é apenas uma…”criança”.
Se ele matar Bane, Regália ficará salva, porém sua consciência aterrorizada.
Se não matá-lo, pode ser considerado um traidor, e morrer pelas mãos dos subterrâneos.
E acima de tudo, como ele irá informar sua mãe, de que Boots morreu?
Qual será a escolha de Gregor?
Ele conseguirá voltar para superfície?
Qual foi o destino da pequena e adorável Boots?
Gregor e a Segunda Profecia são ainda mais sangrentas que o primeiro volume , e nos faz viajar por um mundo mágico, que pode existir aqui, ai na sua casa leitor, pode existir embaixo dos nossos pés.
Ao contrário de Gregor, eu não quero sair do subterrâneo.

Ouça-o arranhar após a descida.
Rato da neve a muito esquecida,
Maldade coberta de branco que reluz.
Irá o guerreiro drenar sua luz?

Titulo: Gregor: E a Segunda Profecia
Titulo Original: Gregor and the Prophecy of Bane
Autora: Suzanne Collins
Ano: 2004
Páginas: 286
Editora: Galera
Boa Leitura.
Casa de Livro Blog.
Karina Belo
-Boots! – Gregor chamou. – Hora de ir embora! – O menino olhou em volta pelo parque e viu que as lâmpadas que cercavam os caminhos tinham se acendido. A luz do dia tinha quase desaparecido por completo. – Boots! Vamos embora! – O menino chamou. Ele saiu de debaixo da árvore, circulou e sentiu uma onda de alarme.
No breve momento em que ele se distraiu com seus pensamentos, Boots tinha desaparecido.

Ares estava quase na ilha quando aconteceu: uma nuvem negra explodiu da selva e engolfou pandora. Ela não teve tempo para reagir. Num momento ela estava dardejando e comendo ácaros, no momento seguinte eles a estavam comendo. Em menos de dez segundos eles tinham devorado a morcega que se retorcia até o osso. O esqueleto branco ficou no ar por um instante, desabando em seguida na selva abaixo.
Em seguida uma vozinha confusa ao lado da orelha de Gregor indagou:
– Cadê mucego?

E aconteceu de Sandwich estar certo novamente. Os ratos tinham matado Boots, e ele não conseguiria matar Bane. Entretanto, Gregor não achava que teria matado Bane mesmo que Boots tivesse sobrevivido. Ou poderia? Se tivesse acreditado que apenas um deles poderia viver? Ele não sabia. Mas não importava mais.

Ela estava sentada no chão, cercada por seis grandes baratas, esfregando os dedinhos dos pés com as duas mãos para mostrar como os lavava. O menino atravessou a sala tropeçando e a agarrou num abraço, segurando-a com força enquanto uma voz animada falava no seu ouvido.

– Oi Você!

GREGOR: O GUERREIRO DA SUPERFÍCIE – SUZANNE COLLINS

É incrível quando conseguimos nos emocionar, e nos identificar loucamente com um livro de magia. Mais uma vez Suzanne Collins mostrou que realmente nasceu para escrever.
Aqui no Blog Casa de Livro já contamos com sua série Jogos Vorazes, publicada. Uma trilogia que deu o que falar, e que conquistou uma legião de fãs ao redor do mundo.
Porém muitos não sabiam, que essa habilidosa autora, já havia escrito uma outra série. As Crônicas do Subterrâneo. E é com grande orgulho que eu, da equipe Casa de Livro, venho a comentar sobre cada volume dessa magnífica jornada por uma Terra onde criaturas míticas, irão deixá-los sem fôlego. Apresento agora a todos vocês, Gregor, o Guerreiro da Superfície.
Gregor é um garoto de origem humilde, que mora com sua família em um pequeno apartamento em Nova York. No local moravam, o garoto de onze anos, sua avó já idosa e doente, sua mãe que trabalhava duro para sustentá-los, e as duas irmãs. Lizzie de nove anos, e Boots, ou melhor, Margareth de dois anos.
Gregor sofria com o desaparecimento de seu pai. Há mais de dois anos ele simplesmente sumiu. Sua mãe ficou desolada e o garoto com apenas nove anos de idade teve que ajudar a tomar conta de sua família. Hoje com onze, ele não pode mais ser considerado uma criança. Com sua vida cheia de problemas e um pai ausente, ele teve que amadurecer e encarar as responsabilidades, sem nem ao menos conhecer nada da vida.
Certo dia, Gregor foi até a lavanderia de seu prédio. Boots, sua pequena e inseparável irmãzinha o acompanhou até o local.
E foi quando a garotinha estava brincando perto de uma abertura estranha na parede, que a aventura de Gregor deu início.
Ele e sua irmã foram sugados por aquela “porta”. E o caminho era extremamente extenso, ele nunca demorou tanto para cair.
O garoto pensou que sua vida estava chegando ao fim, aquele seria seu último momento de vida. E Boots, tão pequena, também estaria perdida. Foi quando ele sentiu seus pés tocarem o solo, que tudo ficou ainda mais confuso na mente de Gregor. Pois ele se deparou com baratas gigantes, que falavam e que sabiam quem ele era.
Como isso era possível?

As Baratas, contaram ao menino que ele estava no subterrâneo e decidiram levá-los para os humanos. Boots logo fez amizade com aqueles “bixo gande” que ali naquele mundo mágico eram conhecidos como rastejantes.
Quando eles se encontraram com os humanos, Gregor ficou fascinado. Eles eram de uma brancura incrível, os olhos cor de violeta e as roupas um tanto inusitadas.
Luxa, foi a primeira a conversar com o garoto, e ele não gostou nada nada de sua arrogância. Quem aquela menina metida a besta achava que era?
Foi então que Vikus apareceu e os apresentou. Luxa era nada menos que a rainha do subterrâneo.
Gregor e Boots foram levados para o palácio, em uma cidade subterrânea que se chama Regália. Lá eles foram tratados, alimentados, e limpos. O cheiro dos humanos da superfície poderia atrair roedores, ratos gigantes, que estavam loucos para começar uma terrível Guerra, guerra essa que estava mais próxima do que todos poderiam imaginar.
A principio o menino só queria voltar para casa. Ele sofreu com sua mãe quando seu pai desapareceu e sabia que agora ela estava novamente sofrendo pelos filhos. Ele não conseguia suportar a ideia de que sua mãe estaria sofrendo tamanha dor.
Quando ele pediu para ir embora, ninguém deixou. Gregor então imaginou que estavam sendo mantidos prisioneiros e tentou fugir, ele criou um plano mirabolante em sua cabeça e tentou executar, mas quase saíram mortos. Se não fosse por Luxa e os habitantes daquela cidade, os irmãos teriam sido devorados pelos ratos.

Foi então que ele descobriu que não eram prisioneiros, e sim considerados Guerreiros, e Boots uma princesa.
Há muito tempo atrás, Bartholomew de Sandwich, escreveu uma profecia sobre aquele lugar. Ele disse que um guerreiro desceria ao subterrâneo para salvar os humanos das garras dos roedores, e para resgatar uma figura perdida. E a figura perdida, era o pai de Gregor. O Pai que estava desaparecido a mais de dois anos, que fez a sua família sofrer a dor de perdê-lo, o Pai que eles tanto amavam, e que foi sugado pela mesma abertura que seus filhos.
Mas estaria ele ainda vivo?
Vikus imagina que sim, o pai dele era um homem da ciência, os ratos o manteriam vivo para conseguirem formular armar para acabar com Regália.
Juntos então se juntam para salvar o pai do Guerreiro. Juntos eles descobrirão verdade sobre o mundo subterrâneo que ninguém conhecia. Juntos eles entenderão o valor da amizade e da lealdade.
Humanos, Rastejantes, Voadores, Fiandeiros e Roedores, se juntaram para um bem maior, e farão a diferença entre muitos.
Gregor conseguirá manter sua irmã viva?
A profecia diz que quatro morrerão. Gregor estaria entre eles?
O pai estaria ainda vivo? Como resgatariam?
E como esta sua mãe na superfície, ela irá aguentar até que eles voltem?
Quanto tempo já seu passou?
Em um lugar escuro, úmido e fatal. Duas crianças irão até o fim para salvar seu pai e uma cidade que está em perigo.
Reis, Rainhas, criaturas maquiavélicas, todas prontas para matar.
Como diriam as incríveis rastejantes: Qual será o destino de Gregor da superfície, Qual será?
Esse foi o nosso comentário para o primeiro volume da série. Que já foi incrivelmente bela. Continue nos acompanhando, logo mais teremos os outros volumes.
E ao contrário de Gregor, nós não vamos querer mais sair do subterrâneo.
Casa de Livro Recomenda.


Profecia:
Cuidado, subterrâneos, o tempo.
Escorre pela peneira.
Os caçadores são caçados.
A água corre vermelha.
Os roedores atacarão para espalhar destruição.
A esperança dos desesperados reside numa missão.
Um guerreiro da superfície, do Sol ele é filho,
Poderá nos trazer de volta a luz,
Poderá nos trazer o vazio.
Mas reúnam seus vizinhos e sigam seu chamado
Ou pelos ratos cada um de nós será devorado.
Dois de cima, dois de baixo,
De sangue Real nas veias
Dois voadores, dois rastejantes, aceitam.
Dois fiandeiros de teias.
Um roedor ao lado e um perdido adiante.
E oito sobrarão ao contar.
Os mortos e os rastejantes.
O último a morrer escolherá de que lado está.
O destino dos oito em suas mãos ficará.
Digam para ele ter cuidado.
Para olhar onde pula,
Pois vida pode ser morte e na morte
A vida outra vez circula.

Titulo: Gregor: O Guerreiro da Superfície.
Titulo Original: Gregor the Overlander.
Autora: Suzanne Collins
Ano: 2003
Páginas: 300
Editora: Galera
Boa Leitura.
Casa de Livro Blog.
Karina Belo

Aqui só vivem pessoas, ou vivem baratas e morcegos também? – Gregor indagou.
– Esta é uma cidade de humanos. Os outros têm suas próprias cidades, ou talvez “terras” seria um termo mais exato – explicou Vikus. – A maior parte do nosso povo vive aqui, porém alguns vivem nos subúrbios, se seus empregos assim determinarem. Lá está nosso palácio – disse Vikus, apontando uma enorme fortaleza circular na borda oposta do vale. – É para lá que nós vamos.

O grupo rapidamente se preparou para partir. Temp e Tick se negaram terminantemente a montar qualquer morcego sem Boots. Isso provocou uma breve discussão, porque Boots tinha de voar com Gregor, e aquilo significava que um morcego teria de levar ambos os habitantes da Superfície e as duas baratas. Os morcegos podiam aguentar o peso, mas isso significava que quatro passageiros inexperientes ficariam sozinhos no mesmo morcego.

– Bem, prefiro pensar em mim mesmo como uma lenda, mas suponho que “guia” seja suficiente – disse uma voz grave e experiente, vinda das trevas.
Gregor virou o facho de luz da lanterna na direção do som.
Encostado na boca do túnel estava um rato com uma cicatriz diagonal no rosto. Gregor precisou de apenas um instante para reconhecê-lo como sendo o rato que Vikus havia derrubado no rio.
– Bem, sendo assim, Gregor, eu sei qual é o presente que eu gostaria de lhe dar, mas você só poderá encontrá-lo em si mesmo – Vikus concluiu.
– E o que é?

– Esperança – Vikus revelou – haverá momentos em que ela será muito difícil de encontrar. Tempos em será muito mais fácil escolher o ódio, em vez dela. Mas se você quiser encontrar a paz, você terá primeiro que ter a esperança de que ela é possível.